sola fide - somente a fé

Sola Fide

Neste mês, comemoramos 500 anos de Reforma! Por isso, vamos conversar com vocês, nas próximas publicações, sobre as 5 solas da Reforma (que não foram desenvolvidas por Lutero), ou seja, os 5 fundamentos. Hoje, inicialmente, vamos conversar sobre Sola Fide: Somente a Fé.

Para entender melhor o que esses fundamentos representam, precisamos saber de uma coisa:

A Reforma Protestante se dá por um embate doutrinário com a Igreja Católica. Incialmente, Lutero visava mudar a visão da própria ICAR (Igreja Católica Apostólica Romana), ele queria fazer uma reforma interna; isso não foi aceito, Lutero é excomungado, e então ele cria o protestantismo, a base para todos os evangélicos de hoje. Falando assim, parece simples, mas isso gerou um conflito enorme na sua época.

Outros itens que precisamos entender, vamos chamar de o dicionário da reforma:

Justificação: ser considerado justo, ser salvo, alcançar o mérito da vida eterna.

Indulgências: Documento feito pela igreja católica que permitia que o cristão comprasse o perdão dos seus pecados. Como isso funcionava? Digamos que cada um de nós precisemos atingir uma meta “X” para alcançar a vida eterna, mas nós não consigamos sozinhos; para isso existia o cofre dos méritos, que consistia em um crédito extra, os santos, apóstolos e todos os apóstolos que realizaram muitas boas obras tinham digamos 1000X, isso quer dizer que eles têm metas sobrando, que podem ser doadas para quem tenha, suponhamos 0,5X, basta o cidadão comprar o documento, ou seja, a indulgência.

Partindo para o Sola Fide.

A defesa católica era a de que: “Fé e boas obras rendem justificação”, ou seja, você precisa fazer algo para ser salvo, não basta crer, não basta o que foi feito por você, você precisa de boas obras para alcançar a justificação. Enquanto, a visão protestante nos diz que: “Fé e boas obras são evidências de uma verdadeira justificação que o crente recebe apenas pela fé em Cristo Jesus.”

Na visão protestante colocamos a que a justificação pela fé em Cristo, e somente pela fé, é o real, não precisamos comprar nosso perdão, não precisamos atingir uma meta, somente pela fé em Sua entrega é que alcançamos a justificação.

Aqui, para esclarecer, vamos analisar duas coisas que a Sola Fide defende.

A primeira é que: Deus perdoa nossos pecados; isso quer dizer que eu não preciso de um intermediário, não preciso de outra pessoa para que minha oração e minha petição alcance Deus, quando oro, oro diretamente à Ele, que me ouve, e me perdoa, sem indulgências, sem barreiras, basta a minha fé em Jesus.

Segundo: a aceitação do pecador como justo aos olhos de Deus; isso quer dizer que não sou apenas considerado inocente, mas justo (ou seja, eu não quebrei nenhuma lei e ainda por cima cumpri toda a exigência da lei). Sabemos que isso não é possível por esforço próprio, já que somos pecadores natos e estamos constantemente pecando, nós apenas conseguimos alcançar isso através da fé na morte e ressurreição de Cristo na Cruz, fato que perdoa nossos pecados e tira nossa culpa.

Como Lutero enxergou o erro da Igreja Católica?

Lendo a carta de Romanos (leia Romanos 3:21-31), onde ele percebeu que não havia um preço que temos que pagar pelo perdão dos nossos pecados, o preço já foi pago na cruz, precisamos somente da fé.

Uma dúvida talvez permaneça: se nos basta a fé, não precisamos mais da lei?

Podemos fazer o que quisermos e seremos salvos? “Anulamos então a lei pela fé? De maneira nenhuma! Pelo contrário, confirmamos a lei” (Romanos 3:31). Entenda, a lei é confirmada e o que é alterado é nossa motivação: Não seguimos a lei para alcançar a justificação, nós fomos justificados e por isso obedecemos a lei.

Fonte:
Além Portal – Mariana Mendes

Mariana Mendes é gerente de Mídias Sociais, escritora e criadora de conteúdo para o canal: youtube.com/entrelinhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.